Portugal: Primeiro-ministro afirma que orçamento “não tem folga”

Portugal: Primeiro-ministro afirma que orçamento “não tem folga”

A fechar as jornadas parlamentares dos partidos da governação (PSD/CDS-PP), Pedro Passos Coelho, afirmou que o Orçamento de Estado para 2014 “não tem folga”, afastando, assim, uma possível suavização da austeridade.

“Este Orçamento de Estado não tem folga. É um Orçamento demasiado difícil de executar”, alertou o chefe do Governo perante os deputados, que estiveram reunidos desde e segunda-feira, dia 28, nas jornadas parlamentares na Assembleia da República.

Ainda assim, o primeiro-ministro não fechou completamente a porta a possíveis alterações à proposta que o Governo enviou para o Parlamento, colocando antes condições para que essas alterações possam ser aceites. “Não podendo ter mais impostos, temos de apertar alguma outra despesa”, afirmou.

As bancadas da maioria querem subir os patamares mínimos a partir dos quais são cortadas as pensões e os salários dos funcionários públicos, bem como aplicar uma sobretaxa de IRS mais baixa face aos 3,5% previstos no Orçamento do Estado.

A finalizar o seu discurso, em jeito de remate, Passos Coelho, desafiou a oposição a apresentar um Orçamento alternativo: “o Governo está disponível para aceitar propostas da oposição e até dos parceiros sociais – se forem válidas e desde que cumpram os objectivos definidos – podiam ser introduzidas no documento através da maioria”. O governante referia-se aos objectivos de cumprir com a redução do défice para 4%, uma consolidação do lado da despesa e um estímulo à economia”.

Sobretudo os que têm a ambição de governar “podem até apresentar um Orçamento alternativo”, rematou.

Fonte: Económico

 

 

SIMILAR ARTICLES

0 125